terça-feira, 8 de dezembro de 2015

ESTOU DE VOLTA!

5/09/2013
A minha vida tem dado que falar, já estive extremamente dilacerada assim como extremamente feliz, já passei por -ses, -porquês, . talvezes, afinal, a vida é, somente, um equilíbrio desiquilibrado. Ainda não estou 100% bem, mas a vida é sofrimento, se nos habituarmos à dor seremos felizes. Ainda custa olhar para trás, porém eu não posso viver no passado, já nem sequer sei se mudaria algo do que aconteceu. Em certa parte precisei de me sentir fraca para aprender a ser forte, mas continua a ser difícil viver. Eu temo a vida e não a morte. Mas eu não posso desejar uma coisa que não posso controlar. Não vou desistir! Se é para sofrer que seja até ao fim.

16/09/2013
Quando se despediu de todos, deu-me um beijo e disse: "Adeus, Sofia"... pois adeus...



28/09/2013
Hoje repeti o mesmo ato de sempre e desta vez até doeu... nem sei mais o que fazer... Não sei o que se passa, porque não se passa nada... (...) Faço isto porque não sinto nada!

3/10/2013
Gostava de saber se elas estão bem. Se têm namorado, se estão a gostar da escola nova; Quais os seus sonhos e desejos; Gostava de saber o que aconteceu depois de "terminarmos". Elas foram a minha vida.
-"Porque continuas a preocupar-te!"
-"Porque já foi bom!"
Foi não é mais, terminou da pior das formas e... não sei mais o que pensar. Momentos que foram e que não voltarão. Nada será como imaginei...

6/10/2013
Uma ferida nada significa quando comparada com uma perda.

9/10/2013
Se neste momento tivesse a oportunidade de pedir um desejo, pediria um último abraço, um último beijo, um último "amo-te", um último "melhor amiga". Só assim conseguiria encerrar o que aconteceu.

20/10/2013
Cada dia é uma batalha maior, uma tortura que me corrompe cruelmente. Não sei quem sou, quem deveria ser. Odeio-me... tenho nojo de mim, os meus atos são desconhecidos. Perdi o sentido de viver... Perdi a minha essência...

(OMG - eu escrevi uma carta de despedida...)

29/10/2013
A professora disse: "Eu não vou deixar escapar o teu talento. Faz já uma seleção de textos e traz-me. Vais participar nas olimpíadas da criatividade!"


19/11/2013
E eu gritei e ri tanto, porque ele fez-me côcegas, pegou-me ao colo e estivemos nisto... E ele disse coisas fofas e mandou-me à pouco uma sms a perguntar como correu o teste.

20/12/2013
Ele foi tão fofo comigo, eu estava com dores no coração e ele pediu-me para vir para casa. Disse que não queria ver-me sofrer. 

21/12/2013
Porque não olham para mim?
Porque não voltam para mim?
Porque não voltam a amar-me?
Porque não me perdoam?
Porque não consigo perdoar?

Eu só tenho um desejo: VOLTEM! Eu não vos quero na minha vida, mas voltem... para que pelo menos me iluda, sinta que estou viva, que sou feliz...

24/12/2013
"Bom natal princesa", foi assim que acordei. Apesar de nao namorarmos ele continua a ser um querido...

1/01/2014
Após de uma explicação pormenorizada ele respondeu-me "lembrome do dia, lembrome da musica, nao fasia ideia que tinha cido uma quarta e tb nao me lembro da conversa. A coisa de que me lembro e que foi um momento que eu nunca mais irei esquecer"... estou super apaixonada... 


27/01/2014
Não me acredito no estalo que lhe dei, era para ser devagar... e pronto... coitado... també quase cai por causa dele... Que fazer quando se ama alguém e se deseja mais do que esse alguém pode dar?

6/04/2014
Vou seguir em frente! Amo-vos, amor-vos-ei sempre! Perdoo-vos e estou cá para o dia em que me quiserem. Só não esperem que seja a mesma!
OH MEU DEUS... EU VOU À AMÉRICA!

16/04/2014
Hoje as "energias" estão a deixar-me esgotada. Estão a pedir-me ajuda e eu não consigo ajudar. Mas eles estão aqui comigo...

24/04/2014
O meu coração está pequenino e dói. Não consigo distanciar-me do sofrimento, como o fiz ontem e na semana passada. E eu não quero voltar lá por tudo o que é mais sagrado. Eu vou ser feliz porque mereço sê-lo.

27/04/2014
Onde estás? Ainda não percebeste que preciso de ti? Não me podes fazer isto: abandonar-me! Não estou bem... eu sinto... eles estão aqui. E eu hoje não consigo. Se me permitir sentir a dor deles, enlouqueço. Deixo de distinguir a realidade, porque a minha dor também é grande. Eu não consigo respirar, eu preciso de respirar, está muita gente comigo. Dói, dói muito. O que é que eles estão a tentar dizer-me?

3/05/2014
Que grande disparate que acabei de dizer. Claro que não vou voltar a fazê-lo, não sei... tenho medo de dizer nunca. Logo verei, o destino ditará as regras do jogo, não vale a pena fazer planos a longo prazo.

7/05/2014
Ao menos se conseguisse sentir-me amada. Às vezes preferia revelar tudo isto ao mundo, nem sempre é fácil esconder sentimentos. Estou farta desta máscara, preciso de me revelar, de ser eu mesma, de poder não ter medo de...Só sei que ainda dói. Quero poder voltar a conseguir confiar nos outros.

5/05/2014
Que coisa esta vontade de chorar, sinto-me sozinha. Não suporto a maneira como os outros me falam. 

9/06/2014
Perdi o controlo. Será que é assim tão mau isto?

15/07/2014
Cada vez mais cansada é como me sinto. Cansada psicologicamente. Estas férias estão a deixar-me esgotada. 


28/07/2014
Menti! Eu ainda o amo!
Não consigo esquecê-lo, nem quero!

19/10/2014
Não sei mais o que dizer, a minha vida, embora não pareça, está de pernas para o ar. Na semana passada passei-me: tive imensos ciúmes. Eu gosto mesmo dele. 

1/01/2015
Começar um capítulo novo nunca é fácil, mudar muito menos. Por isso eu não posso mudar o que sou, tão pouco o que se passa na minha cabeça. 



4/01/2015
Às vezes quero pedir ajuda, mas se a peço arrependo-me. Eu sei que algo de errado se passa comigo. Por vezes so queria ser livre, apagar os meus pensamentos e a mim mesma. Nunca mais recuperarei a minha vida. Mas está tudo bem, eu só quero ser bonita e perfeita...
Sinto-me tão bem cada vez que o faço. Nunca ninguém conseguirá que eu o deixe de o fazer por completo. Eu preciso disto como preciso de ser amada. Ninguém compreende. "TODOS" pensam que é loucura, mas essa mesma loucura é o correto para mim. 
Estou a ficar enjoada e com medo de estar no meu quarto. É como se estivesse alguém aqui comigo... 

20/01/2015
Não consigo estudar, não consigo concentrar-me, não consigo dormir. Estou farta disto tudo e, sinceramente, quero fugir de casa, da escola, de tudo... Não aguento mais!


29/01/2015
Cada vez mais cansada, desmotivada e sem vontade de estudar. Quero desaparecer de vez, viver não é para mim... 

8/02/2015
Eu mereço toda esta dor.... Apetece-me e ... custa dizê-lo, mas será só mais um dia a fazê-lo.

16/02/2015
"Para vencer a guerra é preciso perder algumas batalhas... Não estás sozinha nisto. Estou cá contigo. Vamos conseguir, tu verás."

1/03/2015
Não vejo maneira de parar. Quem me dera nunca ter começado. E quase 2 anos se passaram, e eu ando nisto de: ser forte e depois recair. Quem me diz que se parar agora será de vez? Ninguém me consegue garantir isso. Tenho que ser forte, ter coragem e encontrar uma alternativa. 
Um ponto de viragem. 


5/03/2015
Não quero dormir, mas tenho sono. Espero bem não voltar a sonhar com quedas nas escadas... 

1/04/2015
Odeio homens que não se sabem meter na própria vida. E aquelas palavras não me saem da cabeça.

27/06/2015
O meu problema deve ser gostar de sofrer, porque depois de um mês no controlo, voltei lá. Tenho medo só isso.

25/07/2015
Só preciso de descontar em mim, não é verdade? Nunca viverei sem isto. Eu sei que se comecei também posso parar, mas parece impossível. Parece que quanto mais tento, mais falho. 

27/07/2015
A minha cabeça dói e o meu corpo dói também. Tudo anseia por aquela dor. Não consigo pensar em nada, a não ser naquela sensação. Este desejo é irremediável... tenho que continuar a fugir. Sinto as coisas misturadas e não sei como acalmar o meu coração...

23/09/2015
Tem sido difícil controloar os meus pensamentos. Sim voltei lá... Mas é prazeroso demais, já me tinha esquecido desta sensação que me acalma.

14/10/2015
VOU PUBLICAR UM LIVRO!



30/11/2015
Oh meu deus, meu deus... tanta coisa aconteceu no último mês. Eu comecei a sentir que todos me estavam a abandonar e caí, depimi, revoltei-me. E ainda continua a ser difícil...
Amo yoga!

By: Ana Sofia*
P.S - To Write Love on Her Arms 

sábado, 25 de outubro de 2014

10 factos (sobre mim)



  1. -O que dói mais? O corte ou a cicatriz  -O motivo
  2. Não era assim que eu imaginava passar a minha adolescência.
  3. E com um último suspiro sôfrego, gritarei aos quatro ventos toda a minha dor. Porque, quem sabe assim, eu volte a ser feliz como um dia lembro-me de ter sido.
  4. Os verdadeiros amigos notam a sua tristeza apenas pelo seu olhar.
  5. E quantas vezes seu coração foi quebrado em pedaços e ninguém se importou?
  6. Palavras cortam mais que facas. Elas não perfuram a pele, rasgam a alma.
  7. “O ano tem 365 dias. Em quantos deles você foi realmente feliz?”
  8. Não tenho mais medo de escuro. Agora tenho medo de mim.
  9. Escolhi sorrir porque minhas lágrimas secaram.
  10. Engole o choro. O mundo tá pouco se fudendo para o que você tá sentindo.

Nunca pensei voltar aqui.. mas a verdade é que sinto-me a desmoronar outra vez!
Não sei o que fazer nem o que dizer...

É tudo tão complicado, só sei que QUERO MORRER!

Desculpem...

terça-feira, 29 de abril de 2014

Pensamento do dia

O amor é como dançar sobre cacos de vidro sem ter medo de se machucar ou receios de uma cicatriz no dia seguinte,amar é rir da dor e abraçar o medo incerto de um amanhã talvez.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Pensamento do dia


Uma palavra amiga, uma notícia boa 
Isso faz falta no dia a dia

domingo, 27 de abril de 2014

Pensamento do dia

E se os pingos da chuva forem as lágrimas de dor das pessoas do mundo inteiro?

sábado, 26 de abril de 2014

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Pensamento do dia

Em cada noite descobri um motivo razoável para acordar amanhã.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

# 4 Perspetivas

Mas nao, ELA estava Acordada, Bem Acordada! 

Os Dias passavam, ágora, SEM NEM Pressa Demora. Joe Cada Hora equivalia a hum Ano. Angustiada vivia SEM Saber Mais o Que a magoava: se era Estar ali, se era o Desejo de faze-lo de novo ... Tudo! Localidade: Não havia Comeco NEM FIM, Nao havia Mais nada ... apenas AQUELE árduo Sentimento Que carregava dia apos dia.

Como Consultas de nada serviam LHE, NEM ELA Própria acreditava Que Iria Recuperar.

Localidade: Não PODIA ter nada com ELA, Segundo OS Médicos poderia Cortar-se com hum ATÉ Simples Gancho para o Cabelo. Estava a desesperar, era Como se Fosse filmada 24 Horas POR dia ... Pela SUA Cabeça Só passavam Palavras negativas, Opaco enfatizadas originavam hum remoinho de contradições ... Queria escrever, queria Fazer Tudo Como se nada daquilo tivesse acontecido. Ou Como se tivesse acontecido Aquilo e ninguem tivesse Descoberto. Ou Localidade: Não queria nada Fazer, desejava ter Falecido ...

Localidade: Não tinha nada parágrafo Fazer ali, No Mundo. Localidade: Não tinha Esperança!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

# 3 Perspetivas

E aconteceu... 

Ela acordou, depois de sofrer uma transfusão de sangue. A partir daquele momento nunca mais nada seria o mesmo... A sua vida seria colocada à prova, a sua privacidade deixaria de existir, os seus problemas viriam ao de cima.

Ali, naquela cama de hospital o tempo parecia passar muito devagar... O seu único desejo, mais do que nunca, era morrer... desaparecer. 

O olhar dos seus pais estava carregado de pena, e isso era uma das coisas que ela mais odiava. 

Precisava de sair dali... tinha que sair dali. As coisas cada vez mais deixavam de fazer sentido. E, agora quando olhava para as ligaduras que envolviam os seus braços, sentia uma vontade enorme de repetir o ato, mas desta vez de uma forma definitiva. 

Queria gritar! 

Não podia ser! Tudo aquilo era irreal, tudo aquilo não passava de um grande pesadelo do qual ia acordar.

Mas não, ela estava acordada, bem acordada! 





quinta-feira, 27 de março de 2014

Pensamento do dia

"Verdadeiramente pedimos muito à vida, exigimos que ela seja aquilo que achamos que ela deveria de ser, só que aquilo que achamos que ela deveria de ser nunca é o suficiente, não é satisfatório, pois de cada vez que alcançamos algo que julgávamos ser o ideal para nós, um novo ideal nasce; num processo sem fim, sem descanso, vamos passando pela vida, sem a viver de verdade."

# 2 Perspetivas

Desmaiou e, pensou que tinha morrido...

Não se lembrava de ter ouvido a ambulância a chegar nem sequer os gritos histéricos e aflitos da sua mãe. A única de que se lembrava é que estivera a voar ao som de um chilrear, a rodopiar entre as estrelas. Lembrava-se, ainda, de se sentir livre e feliz, como se toda a sua vida fosse reduzida a um único momento: aquele! 

Para ela, as coisas estavam ótimas, uma vez que não sentia nada para além daquele falso bem estar. Mas, à sua volta, as coisas desmoronavam-se rapidamente... Os seus pais questionavam o porquê de tudo aquilo, nunca tinham percebido que as coisas não estavam bem, aliás, até ali pensavam que a vida da sua filha era muito simples. A sua mãe baloiçava entre as lágrimas frias que escorriam sobre a sua cara e lhe apunhalavam o coração. O seu pai caminhava sem rumo, para frente e para trás, no corredor insípido, branco, daquele hospital. Ambos ansiavam por notícias, tinham visto a morte bater-lhes à porta. Tudo estava obscuro! Não sabiam o que fazer: se a filha morresse iriam torturar-se com o porquê, mas se a filha sobrevivesse, apesar de terem a explicação para a pergunta que os assombrava, iriam continuar sem saber como lidar com ela. 

De repente, pressentiram uma grande azáfama, os médicos corriam... tentando salvar a sua filha. Pareceu-lhes que o tempo passava cada vez mais devagar, que a cada segundo algo dentro deles morriam. Precisavam dela, queriam-na, ela pertencia-lhes. Ela merecia viver, apesar de não saberem o que tinha acontecido! Precisavam que ela acordasse, que ela lhes acontecesse a sua história!

E aconteceu... 

Ana S.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Pensamento do dia

As respostas nunca são encontradas já os sentimentos se abrem a cada olhar, a cada palavra dita a cada imagem vista, porem a única verdade que conheço é que te amo como nunca amei alguém!"


# 1 Perspetivas

Um Novo Rumo!
Um Novo Destino!
Um novo Ponto de recomeço!

Era Tudo o Que Ela queria ...

Pensou Opaco AO faze-lo, Que AO libertar dela AQUELA dor infindável Iria Ser Livre. Pensou Que Tudo se resolveria com hum Simples ato de loucura. Todas como SUAS Ações ERAM manipuladas Pelos SEUS Pensamentos!

E, naquele dia was that Tudo acabou! Ou Antes Que Tudo começou!

Nada Fazia SENTIDO, A Ordem Das Coisas naturais Era Uma vaga Lembrança. Como distorcidas Memórias encontravam-SE, quebradas, fragmentadas. Agora, ELA caminhava, descalça, estilhaços sobre OS fazer Seu Coração. A SUA perspetiva de Vida negra era, acinzentada Como aqueles Longos FINAIS de Tarde, de hum dia tempestuoso de inverno. E, na obscuridade, na sombra daquele in-quarto desprovido de alegria ELA fez-o ... Uma e Outra Vez, Sem remorso, Sem piedade. Ela fez-o ... Um corte, outro corte, Como se Fosse Tudo Reduzido AO Simples escorrer do Sangue na pele, Como se Fosse Tudo AQUELE lento pingar, gota a gota, de hum Fluido Vermelho, Como se Toda a dor desaparecesse com como lágrimas frias Opaco lavavam o Seu Rosto.

Como fazer paredes in-quarto começaram a rodopiar e ELA sentiu Que Tudo tinha Acabado, Que um SUA Vida estava segurada POR UM Frágil fio de Ouro ... E, Como quem de corta o cordão umbilical, de forma imperiosa fez-o, Uma Vez Mais, com a intenção de Por FIM à Vida, com a intenção Opaco O Sangue levasse Tudo dela e Opaco dela fizesse o Opaco Bem entendesse.

Desmaiou e, pensou Que tinha morrido ...

Ana S.